quinta-feira, outubro 18, 2007

Se eu morresse amanhã

Levaria muitas angústias das coisas que não fiz, deixaria um recado (uma frase) bem trabalhado pra cada amigo verdadeiro (lembre-se de que a língua é machista) e passaria as frases pra minha revisora predileta para ela xecar minha hortagrofia, roubaria o beijo que nunca lhe dei, ouviria clube da esquina II, ela leria ao pé de meu ouvido um excerto favorito do caminho de swamn, até o último sinal de luz se esvair do cérebro, aí viraria pelo de gato preto, lodo, terra.



"Sabía que su inmediata obligación era el sueño..." BORGES
(para o pai da Capuchinho, para Paulo Autran (um ator que nunca admirei mas...)
(thank you for the ride, MARINA)

2 comentários:

Mari Migliacci disse...

it's a pleasure...
agradeça-me por 'dar um jeito' no seu blog...rs
beijo!

alcides disse...

obrigado, Marina, por dar um geito (jeito) no Mirabismo