quarta-feira, agosto 13, 2008

Modesto


Às vezes, no ônibus pode-se pescoçar algo daquilo que os outros lêem, fácil juntar a palavra tristeza com amor num livro surrado, a menina mulata lê um livro azul e surrado, a dos olhos rasgadinhos lê umas cópias pra faculdade que não parecem muito interessante, as argentinas no banco de trás não liam, mas conversavam bastante, me lembrei da voz de Cristina mas não do seu sotaque porque afinal ela é mexicana. Eu leio um livro nda moda, Máquina de Pin Ball, fluído, cheio de razões ou falta delas, por vezes autêntico, se é que existe isso em ficção- ou o que quer que ele seja.
Nesses dias secos, a única coisa boa é a noite porque dá pra ver as estrelas, em São Paulo isso faz uma grande diferença. Estou pensando em sair hoje, curtir a noite, mais do mesmo, enfim...

2 comentários:

ana oshiro disse...

Saiu?
Viu estrelas?
As mais lindas que vi, aí em SP, vi daquele quintal da casa feliz na Tuparaquara...e nunca me esqueço delas...

Mari Migliacci disse...

mais do mesmo? a gente foge dele, mas é só o que a gente quer, né não?
hehehehehe
aaaahhhh a funhouse!
bjo