quarta-feira, julho 13, 2011

'Em defesa do romance'


Incivilizado, bárbaro, órfão de sensibilidade e pobre de palavra, ignorante e grave, alheio à paixão e ao erotismo - um mundo sem literatura teria como traço principal o conformismo, a submissão dos seres humanos ao estabelecido. Seria um mundo animal. Muitas vezes me ocorre, nas feiras de livros ou nas livrarias, que um senhor se aproxime de mim com um livro meu nas mãos e me peça para autografá-lo, especificando: é para a minha mulher, ou minha filha, ou minha irmã, ou minha mãe; ela, ou elas, são grandes leitoras e são apaixonadas por literatura. E eu lhe pergunto, de imediato: "E o senhor? Não gosta de ler?" A resposta chega pontual, quase sempre: "Bem, sim, é claro que gosto, mas sou uma pessoa muito ocupada, sabe como é."

MARIO VARGAS LLOSA

http://amigosdofreud.blogspot.com/search/label/Literatura?max-results=20

2 comentários:

Priscila. disse...

Eu ouvia o áudio do Cortázar lendo "Los amantes" e fui ao google procurar o poema escrito pra acompanhar. Achei teu blog, que coisa linda.

alcides disse...

Valeu Priscila.