quinta-feira, janeiro 13, 2011

Para C.


¿Qué tienen los viajes que producen tanta alegría? Aun el más breve sugiere algo a modo de renovación, o de muerte. Diarios. Pizarnik.

Queria ter conhecido Havana, Cuba e todo México com vC.
Mas agora é tarde, é sempre tarde.
Quanta estupidez minha além da já famosa covardia.

O monstro foi encontrado pelas ruas da charmosíssima Havana, dizem que ele ainda aterroriza seus moradores.

2 comentários:

Ismael disse...

Me estoy ahorrando para gastarme en algo que ignoro. En otras palabras, cobardía, idiotez. (...)
Si se dejara ir, si se dejara dejarse, ah, entonces podría ir a cualquier lado, si se dejara o dejarse o dejaría. (guess who).

mm disse...

Tarde é um ponto de vista.
Legítimo, é claro. Mas é apenas um ponto de vista. Eu contrario esse narrador e digo que ainda é cedo (saiu sem querer, ops de novo, não tava pensando em Legião, juro!!)
É sempre cedo para a morte e para o amor. Nunca tarde... nunca se vive ou se ama o suficiente para ser tarde. A morte ou o amor sempre nos pegam de calças curtas e estamos sempre em débito... me parece...Bia