segunda-feira, novembro 16, 2009

Modigliani


Os olhos estão vazios ou cheios de melancolia?

segunda-feira, outubro 05, 2009

Octavio Paz


"Las épocas viejas nunca desaparecen completamente y todas las
heridas, aun las mas antiguas, manan sangre todavía. A veces, como las pirámides precortesianas que ocultan casi siempre otras, en una sola ciudad o en una sola alma se mezclan y soperponen nociones y sensibilidades enemigas o distantes".

quarta-feira, setembro 30, 2009

Calaveras


Antiquário
Passa-se por uma porta de moldura amarela no momento intransponível. Pendurado, na própria porta, um recado diz pra se tocar a campainha, lá dentro há muita coisa. Na vitrine, ao lado da porta de vidro, tem mais um montão de coisas. Só não tem sapatos novos, artigo indispensável para o homem que quer se apresentar bem, a felicidade pode não estar num par de sapatos mas a boa aparência está, não é?

terça-feira, setembro 29, 2009

domingo, setembro 27, 2009

sexta-feira, setembro 25, 2009

La Soledad (by Octavio Paz)

El hombre es nostalgia y busqueda de comunión. Por eso cada vez
que se siente a sí mismo se siente como carencia de otro, como
soledad.

terça-feira, setembro 22, 2009

Desastrologia

Lia a última mensagem que ela me mandou e ao mesmo tempo olhava minha imagem que tremia refletida na tela do celular. Do outro lado do mundo ela continuava a sentir minha falta. Eu ando meio confuso era a única resposta que conseguia juntar numa frase inteligível. A cabeça doía e naqueles dias sentia a dor de todo mundo e depois já não sentia nada. A dor tinha sido causada a partir de mim mesmo, o problema não era dos outros e nem mesmo com os outros...Pensava também que eu era de Saturno e não de Marte.

segunda-feira, setembro 21, 2009

Das bocas (que estan solas) ou sobre a faceta cômica de nossa condição


As bocas que não conseguem ficar paradas nos terminais rodoviários, aeroportos e afins, mastigam qualquer coisa ou falam desenfreadamente ao celular, funcionam assim como músculos involuntários. Há uma espécie em extinção, a saber, a que tragava um cigarro dissimulando suspiros.
"Assim expira o mundo
não com uma explosão mas com um suspiro"

T.S. ELIOT

sexta-feira, setembro 18, 2009

SEpa.......

" O inconsciente é uma cadeia virtual de acontecimentos, ou "dizeres", que sabe atualizar-se num "dito" oportuno, onde o sujeito diz sem saber o que está dizendo" JUAN-DAVID NASIO

O sonho, a crise pela qual passei que inclui a falta de dormir, ou seja, o surto em si, seria ela um sonhar acordado numa espécie de pesadelo?

terça-feira, setembro 15, 2009

Meio Marisa Monte


"Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular"
ARNALDO ANTUNES, MARISA MONTE, CARLINHOS BROWN

quarta-feira, agosto 26, 2009

Wish list (viva o México)

  • frijol
  • cebolla
  • jitomate
  • cilantro
  • chile del verde
  • pepinos
  • tortillas
  • queso
  • aguacate
  • creme de leite
  • totopos
  • canela

no olvidarme de llevar

  • salsas
  • chile jalapeño
  • chile chipotle
  • arroz
  • leche condensada
  • apachurador
  • llaves
  • tequila

É tudo verdade


Informações: (11) 3064-7485 ou http://www.etudoverdade.com.br/



DOCUMENTÁRIOS DE LOUIS MALLE ABREM É TUDO VERDADE/MOSTRAS ESPECIAIS EM SÃO PAULO E NO RIO

Dois documentários distintos do cineasta francês Louis Malle serão exibidos nas sessões de abertura do É Tudo Verdade/Mostras Especiais em São Paulo e no Rio de Janeiro."Place de la Republique" (1972) será exibido na Cinemateca Brasileira, em São Paulo às 20h30 do próximo dia 31, em sessão para convidados. Por sua vez, "A Câmera Impossível" (1969), o primeiro episódio da série "A Índia Fantasma", abrirá o festival no Rio de Janeiro, às 20h30 do dia 4 de setembro, no Instituto Moreira Salles."Acho que Cinema Direto é a melhor maneira de definir o que tentei fazer na Índia, ou nos documentários que rodei da França em 1972 ou nos americanos que fiz mais tarde", disse Louis Malle ao critico Philip French. "O que chamo de Cinema Direto é um tipo de documentário no qual você improvisa tudo e trabalha com uma equipe mínima. Você não tenta organizar a realidade, você apenas tenta seguir para onde seu interesse ou sua curiosidade o leva, e mais tarde tenta dar sentido a isso na sala de montagem. É um cinema de instinto, de improvisação, um cinema muito do presente".Em "Place de la République", Louis Malle conversa com transeuntes e trabalhadores que convergem para aquele tradicional endereço parisiense. Filma-os durante dias, reencontrando alguns, perturbando outros. O resultado é um poderoso flagrante de faces e vozes dos franceses no começo da década de 1970."A Câmera Impossível", por sua vez, dá início em tom ensaístico a saga documental em sete episódios rodado por Malle na Índia nos primeiros meses de 1968. O cineasta francês anuncia seu projeto de realizar um documentário "subjetivo" que investigue a Índia para muito além da elite anglofônica. "Mesmo em minha obra ficcional creio ter sido enormemente influenciado por aquilo que descobri na Índia", reconheceu Malle anos mais tarde.Fundado e dirigido pelo crítico Amir Labaki, o É Tudo Verdade - 14º Festival Internacional de Documentários é uma co-realização da Petrobras, CPFL Cultura, Centro Cultural Banco do Brasil, SESC-SP, Ministério da Cultura - Secretaria do Audiovisual, Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura do Rio de Janeiro, Riofilme e Cinemark, com apoio da Oi, da Imprensa Oficial, do Instituto Moreira Salles, da Cinemateca Brasileira e do Ministério da Cultura, através da Lei 8.313/91 (Lei Rouanet) e FNC - Fundo Nacional de Cultura.
É Tudo Verdade 2009/Mostras Especiais - 14º Festival Internacional de DocumentáriosDe 31 de agosto a 7 de setembro Cinemateca Brasileira - SPSALA BNDESR. Largo Senador Raul Cardoso, 207(210 lugares)De 4 a 12 de setembroInstituto Moreira Salles - RJR. Marquês de São Vicente, 476Tel.: (21) 3284-7400 (113 lugares)Direção: Amir LabakiInformações: (11) 3064-7485 ou http://www.etudoverdade.com.br/

por falar em chile




Fiesta Mexicana (Tapatía)




  • Frijoles fritos


  • postre de limón


  • àgua fresca de arroz


  • agua fresca de jamaica


  • guacamole


  • salsa mexicana


  • chilaquiles

terça-feira, agosto 25, 2009

Cine CHILE


Confira a programação.
Sexta-feira (28/08) 21h30: 199 Recetas para ser feliz
Sábado (29/08) 21h30: La buena vida
Domingo (30/08) 21h30: Alicia en el País
Segunda-feira (31/08) 21h30: Tony Manero
Terça-feira (01/09) 21h30: El Regalo
Quarta-feira (02/09) 21h30: Malta con huevo
Quinta-feira (03/09) 21h30: El rey de lo huevones
II Festival de Cinema Chileno
Reserva Cultural
Av. Paulista, 900 - São Paulo - SP
Mais informações:
http://www.festivaldecinemachileno.com.br/

Platão vs. Aristóteles (Mirra e Alecrim)


Mirra disse que Alecrim tinha alucinações metafísicas.


Alecrim disse que seus desvarios eram de ordem aristotélica.
Mas não tinham unidade tal qual o monstro horaciano.


"não há classificação do universo que não seja arbitrária e conjectural" BORGES


" A RAZÃO É MUITO SIMPLES: não sabemos o que é o uiverso" Borges

" O homem sabe que há na alma matizes mais desconcertantes, mais inumeráveis e mais anônimos que as cores de uma floresta outonal"...CHESTERTON

sábado, agosto 22, 2009

Inventário (by Fabiana Oshiro)





"Aos cinco, uma cicatrizde fogo,


silêncio,


e depoislágrimas de amor.


Aos cinco, uma cicatriz,


mágoa...


Pra sempre


nós dois


juntos onde for.




Teu inventário eu vou fazer


recolhendo pedaços soltos.


Aos poucos...


Para entender


nosso feliz desaniversário.






Eu gostaria de ter


te conhecido melhor.


Para alémdo mamão na cama


e dos álbuns de fotografia.




São pedaços soltos


recolhidos aos poucos


Pra te conhecer


Para além daquele dia


e dos álbuns de fotografia".

sexta-feira, agosto 21, 2009

O POeta


O poeta lê Rimbaud em "tempos de assassinos", mas a poesia é do Lô Borges e do Clube da Esquina.

Para Ana Fabio Biathan

sexta-feira, agosto 14, 2009

POESIA

"A vida em nossa cabeça
Viaja um tempo sem fim
Estamos tão perto beleza
Amor do princípio ao fim
E o tempo que a precisa
Renova a chama, o sim
Viaja tranqüilo e serena
A força do vento em mim
Nem quero saber de careta
Nem posso perder o teu sim
E o som que você levou
Buscas também
E agora mesmo
Vejo luzes, claros corações
O céu é uma lona furada
Estrelas assistem um show
Eu sento na mesma calçada
O vento que não me levou
Parece que vai levar uma canção
Com meus amigos
Tudo em cima
Claros corações"...

terça-feira, agosto 11, 2009

About frustration

Frustrated Russian throws cup at Mona Lisa

PARIS (Reuters) – A Russian woman frustrated at failing to obtain French nationality hurled a ceramic cup at the Mona Lisa but did not damage Leonardo da Vinci's famed portrait, a spokesman for the Louvre Museum said on Tuesday.
The attack happened on August 2 and the unnamed assailant was immediately arrested.
"The woman threw an empty cup at the Mona Lisa, but there was no damage as the cup smashed when it hit the screen protecting the painting," said Louvre spokesman David Madec.
"She was visibly upset," he added, saying she had subsequently undergone psychiatric testing.
The Mona Lisa, which is protected by a bullet-proof screen, is one of the most prized works in the Louvre and was seen by some 8.5 million visitors last year.
The woman had hidden the ceramic cup in a bag and later told police she had been upset because she had not been granted French nationality. She has since been released, but faces legal action from the Louvre.
Other museums in France have had problems.
In 2007, a man broke into the Musee D'Orsay in Paris and punched and damaged a painting by the French impressionist Claude Monet.
In 2008 a Cambodian woman was made to do community service after kissing a painting by American artist Cy Twombly at a gallery in southern France, leaving lipstick on the canvas.
(Reporting by Joseph Tandy, editing by Crispian Balmer)

terça-feira, agosto 04, 2009

REceita de BOLO


Quando se analisa um quadro ou um livro ou qualquer tipo de arte, tem de se levar em conta primeiro se há maniqueísmo na obra e se houver não é arte, ou seja, primeiramente deve haver dialogismo. Acho que em segundo plano vem distinguir o que faz parte do campo simbólico e o que é alegoria e metáfora, mas isso tudo é uma outra história muito complicada de explicar no momento. Então, copiei umas coisas sobre filme que depois vou postar. E o problema da psicanálise vulgar é criar significado pra tudo, ser universal ou totalizante ou qualquer outra coisa, sei lá, ainda não tenho diploma pra falar sobre isso. E por último, "A estética da violencia" não pressupõe o elogio ou a apologia da violencia, isso seria misturar assuntos.

sexta-feira, julho 31, 2009

São Paulo?


" El hombre pone el diñero sobre el mostrador y el boletero empieza a darle el vuelto, mirando como la mujer se frota lentamente la muñeca. No puede saber se sonríe y poco le importa, pero lo mismo le hubiera gustado saber si sonríe detrás de todo ese pelo dorado que le cae sobre la boca"

Maria Exita e Sinésio não gostavam mais de viver em São Paulo. Todo dia a mesma coisa, um Zelador enxerido e mentiroso. Gente sem educação no ônibus e em toda parte. O trabalho era a única coisa que fazia os dois ficarem lá. Acho que eles eram masoquistas. As pessoas naquela cidade mentiam muito Aliás todas mentiam e eles não eram diferentes, só mais calados. Eles se sentiam como que vivendo no interior, onde todo mundo quer saber da vida de todo mundo e onde as janelas espiavam, as paredes tinham ouvido. Não tinham mais paz, nem sarau, nem nada. Maria gostava de flores, das àrvores e falava muito sobre literatura. Sinésio gostava de música e cinema e de Kafka é claro. Eles inclinavam o olhar e tinham a angústia como companheira.

Para Cortázar, Toscana, Norma e Rosa e Café Pilão.

quinta-feira, julho 30, 2009

Amanhã vai ser outro dia

Amanhã vai ser outro dia,
amanhã vai ser outro dia....

Sobre os alunos

Não querem discutir política e para eles Database é uma escola de informática.

VIVA A DEMOCRACIA


PAULO RENATO PARA REITOR DA USP

O ministério da Saúde

Párpados Azules
Japón
Tierra en trance
O estranho mundo do Audiovisual (HAMBURGER)

Estes filmes não foram feitos pra quem gosta de Harry Porter e ERA do Gelo III

VIVA MEXICO

sábado, julho 25, 2009

SObre cOmo conTAr


"do conto breve"
"Cuenta como si el relato no tuviera interes más que para el pequeño ambiente de tus personajes, de los que pudiste ser uno"
QUIROGA

sexta-feira, julho 24, 2009

Cinema e Sociedade


E pra quem gosta de Cacoyannis, Rocha, Welles

http://www.ufscar.br/rua/site/?p=1557

é da UFSCAR, é o pesssoal lá manda vê!!!!!!!


e para entender alguns conceitos críticos, a saber, cinema espetáculo, de repertório, etc.....

quarta-feira, julho 22, 2009

CAT POWER



Aqui um exemplo de que ela também "cantava com o público"


A noção de hierarquia, ordem ou algo semelhante atrapalha o julgamento de muita gente. Estamos acostumados com todas as coisas no seu devido lugar, ou seja, se vou a um show, o artista tem de me entreter. Ele está unicamente como uma mercadoria que vai me satisfazer pelo tanto de horas que eu e sua audiência pagamos.

Assim, se ele não estiver no palco entretendo e divertindo como um mono de feria ou como Mick Jagger, não serve, ainda mais se ele, de alguma forma, estiver relacionado com a indústria fonográfica norte americana.

Acontece que ele, neste caso, é ela.

Fazer a performance de palco mais “intimista” - para o usar o jargão – ou cantar quase o show inteiro de lado, prestando atenção em seus músicos, não quer dizer que ela se sinta num ensaio ou que menospreze sua audiência, mas que ela curte a música, gosta do que faz. Se alguém dissesse que as músicas dela são todas iguais ou, ainda, ela soa como se cantasse as mesmas músicas, diria que esta pessoa nunca tomou o devido tempo pra ouvir álbuns como Myra Lee, Cover ou What the community thinks. Temos de nos acostumar com ela antes, aprender um pouco suas manhas, pois afinal, ela é uma Gata.

segunda-feira, julho 20, 2009

Can't help it

( hank williams )

Today I passed you on the street
And my heart fell at your feet
I can't help it if I'm still in love with you

Someone else stood by your side
She looked so satisfied
I can't help it
I'm still in love with you

A picture from the past came slowly stealin'
As I brushed your arm and walked so close to you
Then suddenly I got that old-time feelin'
I can't help it
I am still in love with you

It hurts to know another's lips will kiss you
And hold you just the way I used to do
Oh heaven only knows how much I miss you
I can't help it
I'm still in love with you

quarta-feira, julho 15, 2009

O Ministério da Saude adverte

estes filmes não deveriam estar disponíveis:

LAKE TAHOE
LUGAR SIN LÍMITES
ÁRIDO MOVIE
TIDE LAND

terça-feira, julho 14, 2009

The CURE


"CATCH"
Yeah I know who you remind me of
A girl I think I used to know
Yeah I'd see her when the days got colder
On those days when it felt like snow You know I even think that she stared like you
She used to just stand there and stare
And roll her eyes right up to heaven
And make like I just wasn't there

And she used to fall down a lot
That girl was always falling
Again and again
And I used to sometimes try to catch her
But never even caught her name

And sometimes we would spend the night
Just rolling about on the floor
And I remember even though it felt soft at the time
I always used to wake up sore...

You know I even think that she smiled like you
She used to just stand there and smile
And her eyes would go all sort of far away
And stay like that for quite a while

And I remember she used to fall down a lot
That girl was always falling
Again and again
And I used to sometimes try to catch her
But never even caught her name

Yeah I sometimes even tried to catch her
But never even caught her name

segunda-feira, julho 13, 2009

Muito além do jardim

Farsa pressuõe uma série de características que não cabem ser descritas aqui. No entanto, ou o texto do Ariano Suassuna é muito fraco ou a companhia deixa a desejar. Assistam a Farsa da Boa Preguiça e tirem suas próprias conclusões. Eu tirei as minhas e ainda me lembrei que o exagero, pressuposto na farsa, era grotesco e a única dialética era entre os santos. As outras personagens planas, sei que é pressuposto, mas duas horas de duração é muito tempo para aquelas persongens ou pros atores, outra coisa que incomoda é a crítica a geração dos atropófagos e de escritores de 30 com uma saída um tanto conciliatória para os problemas dos explorados. Pois o conceito explorados deve ser discutido, segundo o pessoal das sociais e antropologia.

TRÓPICO DAS CABRAS – OU A UM BOM ENTENDOR



Minha mãe queria que eu tivesse cachinhos e fosse ruiva, nasci com cabelos negros e liso, parecia uma indiazinha. Ando por esses dias de cabeça baixa pois tenho vergonha do que o tempo fez com meu rosto.
Desço do metrô na Vila Maria, depois, a avenida Assis Dardanelos, por umas quadras encontro meus clientes. Minha mãe também queria que eu fosse homem.
Trinta e três anos, era uma puta velha, pior que jogador de futebol, pelo menos eles comiam quem queriam.
Eu ainda tinha vergonha da minha cor e usava bloqueador só pra ficar mais branco. Nem cumprimentava ou falava com os vizinhos por medo. Mamãe dizia pra não conversar com estranhos.
Gostava do calendário chinês que dizia que 2009 era o ano do boi, mas eu era coelho. “Naquela mesa tá faltando ele e a saudade dele tá doendo em mim”, cantarolou e atravessou o sinal vermelho pra pedestres.
To Biatchan and Doug and Meredith y Cristina que me hizo ver “Lugar Sin Límites”

segunda-feira, julho 06, 2009

"Broke" by Modest Mouse


"Broke"

Broke account soI broke a sweat

I've bought (thought???) some things that

I sort of regret about now

Broke your glasses, but it broke the ice

You said that I was an asshole and I paid the price

Broken hearts want broken necks

I've done some things that

I want to forget but I can't

Broke my pace and ran out of time

Sometimes I'm so full of shit that it should be a crime

Broke a promise cause my car broke down

Such a classic excuse it should be bronze by now

Broke up, and I'm relieved somehow

It's the end of the discussions that just go round and round

And round, and round, and round, and round

And round, and round it shouldn't have been anyway

No way, no way, no way, that's right

Uh oh, uh oh, uh oh, uh noUh oh, uh oh, uh oh, uh no

It was like everything was evidence of broken (time?)

You're living on fancy wine

You'll drink that turpentine

You're starting conversations

You don't even know the topic

SOund track for losers and suckers and steady-bad-luckers


"Interstate 8"


Spent 18 hours waiting stoned for space

I spent the same 18 hours in the same damn place

I'm on a road shaped like a figure 8

I'm going nowhere, but I'm guaranteed to be late

You go out like a riptide

You know that ball has no sides

You're an angel with an amber halo

Black hair and the devil's pitchfork

Wind-up anger with the endless view of

The ground's colorful patchwork

How have you been?

How have you?

I drove around for hours,

I drove around for days

I drove around for months and years and never went no place

We're on a pass, we're on pass

I stopped for gas, but where could place be

To pay for gas to drive around

Around the Interstate 8

You go out like a riptide

You know that ball has no sides

You're an angel with an amber halo

Black hair and the devil's pitchfork

Wind-up anger with the endless view of

The ground's colorful patchworkHow have you been?

How have you?



quinta-feira, julho 02, 2009

Reading for fun (leissure activities) - A respecto del neoliberalismo


David Harvey: Breve historia del neoliberalismo


Este libro describe la genealogía del neoliberalismo como la construcción de un arma de consenso ideológico y de un instrumental de gestión macroeconómica y de ordenación microeconómica de la empresa y del Estado. Lejos de tratarse de una adaptación natural y de una respuesta técnicamente neutra a las dificultades experimentadas por las economías occidentales y por las estrategias de desarrollo del Sur global tras la crisis de la década de 1970, David Harvey demuestra cómo el neoliberalismo fue una contundente y articulada respuesta política concebida por las clases dominantes globales para disciplinar y restaurar los parámetros de explotación considerados «razonables» tras la onda de luchas que recorrieron el planeta tras la Segunda Guerra Mundial.

lecturas sobre Neoliberalismo


“The idea of freedom ‘…degenerates into a mere advocacy of free enterprise’, which means ‘the fullness of freedom for those whose income leisure and security need no enhancing, and a mere pittance of liberty for the people, who may in vain attempt to make use of their democratic rights to gain shelter from the power of the owners of property’. But if, as is always the case, ‘no society is possible in which power and compulsion are absent, nor a world in which force has no function’, then the only way this liberal utopian vision could be sustained is by force, violence and authoritarianism. Liberal or neo-liberal utopianism is doomed, in Polyani’s view to be frustrated by authoritarianism, or even outright fascism”. “The idea of freedom ‘…degenerates into a mere advocacy of free enterprise’, which means ‘the fullness of freedom for those whose income leisure and security need no enhancing, and a mere pittance of liberty for the people, who may in vain attempt to make use of their democratic rights to gain shelter from the power of the owners of property’. But if, as is always the case, ‘no society is possible in which power and compulsion are absent, nor a world in which force has no function’, then the only way this liberal utopian vision could be sustained is by force, violence and authoritarianism. Liberal or neo-liberal utopianism is doomed, in Polyani’s view to be frustrated by authoritarianism, or even outright fascism”. “The idea of freedom ‘…degenerates into a mere advocacy of free enterprise’, which means ‘the fullness of freedom for those whose income leisure and security need no enhancing, and a mere pittance of liberty for the people, who may in vain attempt to make use of their democratic rights to gain shelter from the power of the owners of property’. But if, as is always the case, ‘no society is possible in which power and compulsion are absent, nor a world in which force has no function’, then the only way this liberal utopian vision could be sustained is by force, violence and authoritarianism. Liberal or neo-liberal utopianism is doomed, in Polyani’s view to be frustrated by authoritarianism, or even outright fascism”. “The idea of freedom ‘…degenerates into a mere advocacy of free enterprise’, which means ‘the fullness of freedom for those whose income leisure and security need no enhancing, and a mere pittance of liberty for the people, who may in vain attempt to make use of their democratic rights to gain shelter from the power of the owners of property’. But if, as is always the case, ‘no society is possible in which power and compulsion are absent, nor a world in which force has no function’, then the only way this liberal utopian vision could be sustained is by force, violence and authoritarianism. Liberal or neo-liberal utopianism is doomed, in Polyani’s view to be frustrated by authoritarianism, or even outright fascism”.


DAVID HARVEY

terça-feira, junho 23, 2009

Rancheros Bonitos ( o Cholos? Malafachas? )


A Tânia e o Cleber colaboraram com o figurino, a locação é o Horto , destino era Pedra Grande que perto da atibaiana é pequena. Valeu galera!

sexta-feira, junho 19, 2009

espero que goste




"Tudo o que eu faço

alguém em mim que eu desprezo

sempre acha o máximo.

Mal rabisco,

não dá mais para mudar nada.

Já é um clássico".

[do livro Distraídos Venceremos]

quarta-feira, junho 17, 2009

Leminsky (Walter Benjamin e todos outros poetas)


das coisas
que eu fiz a metro
todos saberao
quantos quilometros
sao


aquelas
em centimetros
sentimentos minimos
impetos infimos
nao?

segunda-feira, junho 01, 2009

A comilança


Tenho medo de cachorros, gatos e crianças. São imprevisíveis, dizia consigo mesmo. A vida parecia uma sucessão de equívocos e cada vez que parava para pensar sentia o vazio. Tenho feito promessas que não irei cumprir. E o mundo girava enquanto se tenta saltar, ou algo que o valha. Tenho medo de esquecer as coisas que ainda fazem sentido pra mim. A noite começava a devorar o sol da tarde para vomitá-lo sobre a terra na aurora. E eu nunca disse uma única palavra verdadeira pra você em toda minha vida. Pensou que aquela hora não haveria problema em caminhar pelo bairro, não haveria nem cacchorros nem gatos nem crianças na rua. Queria passar o tempo e resolveu caminhar até o cemitério, o problema é que há sempre gatos em cemitérios. Imaginava qual seria a causa dessa estranha combinação. Será que era por conta dos ratos ou insetos que roiam os defuntos. Foi assim mesmo. Pensava em Mastroiani, Moreau e naquela moça que contracenava com eles em la Notte, será que Moreau estva morta? e a moça? não importava. Sorriu.

sexta-feira, maio 29, 2009

La Notte


Reflexos de uma cidade. Ruídos urbanos. Concreto e vidro se misturam por meio de uma trilha sonora feita do ronco dos automóveis, dos helicópteros e aviões que circundam o céu de uma cidade que não pára. A mesma Milão dos anos sessenta será reconhecida mais tarde em São Paulo S/A. E Mastroiani torna-se Walmor Chagas e Jeanne Moreau, Eva Vilma. E esta mulher...

Cais





"Para quem quer se soltar invento o cais
Invento mais que a solidão me dá
Invento lua nova a clarear
Invento o amor e sei a dor de me lançar
Eu queria ser feliz
Invento o mar
Invento em mim o sonhador
Para quem quer me seguir eu quero mais
Tenho o caminho do que sempre quis
E um saveiro pronto pra partir
Invento o cais
E sei a vez de me lançar"

quarta-feira, maio 27, 2009

O último leitor


El cariño que te tengo
Yo no lo puedo negar
Se me sale la babita
Yo no lo puedo evitar



Tristeza rima com beleza, Tenho duas palavras que não saem da minha cabeça, são nomes que ouvi e li recentemente e ficaram no meu subconsciente, ou melhor, meu consciente. Quero contar uma história mas os nomes e as coisas já me narram outra história. As palavras me encantam e me confundem. Os nomes das coisas às vezes me fascinam, digo, nem sempre, mas às vezes, e parecem conter neles mesmos outros tempos, histórias fantásticas.


Tento narrar mas os detalhes me atrapalham, ao mesmo tempo sem eles não consigo contar nem apreender a experiência. Decidi contar a história desse caderno, mas me esqueci de descrever a foto contida em sua página de rosto, pois meu achado se parece mais com um livro a ser escrito do que um caderno.

A foto é estranha, em vez de descrevê-la penso em qual seria sua história. Será que a mulher na foto é a dona do caderno? Ou ela seria o motivo pelo qual o caderninho existia? Tinha um nome ao lado da foto, Stella, era o nome da fulana, ou da fotógrafa? Nome da fã que escreveria sobre inspiração da atriz? Era uma atriz sem dúvida naquela foto, pois estava sobre um palco de fundo negro.

Meu atual escritor favorito sempre começa suas histórias com um cadáver, eu começo com um caderno.

terça-feira, maio 26, 2009

Suíte (Bachianas)




Gostaria de pensar nas diferenças, uma vez a viu no restaurante, os lábios estavam roxos do frio, hoje, estavam vermelhos do calor, daquela vez não podia ver seu cabelo por causa do chapéu, agora, entendia suas curvas, percebia seu comprimento, sentia sua textura. O sorriso nos olhos, diferente da fome e do frio que eles passavam antes. Certamente, um minueto.
para Fabio e Ana Oshiro, que gostam de música.

quinta-feira, maio 21, 2009

Do medo de ficar só

Come um doce antes de dormir. Acorda e ainda tem fome, o frio deixa as coisas mais difíceis, cabeças abaixadas, solidão e medo, aliás acho que o ambiente não tem muito que ver com o estado dela. Queria cumprimentá-la, convidá-la prum café ou uma cerveja, adoro cerveja no frio, mas ela só toma àgua. Já disse tudo que sentia, mas ela se afastou, eu a abracei, mas ela acha que havia más intenções, não, o que havia era carinho, agora, só mágoa e frio e fome.

terça-feira, maio 12, 2009

CANÇÃO ( Canzo - de Guilhem de Peitieu) trad.Augusto de Campos


Fiz um poema sobre o nada:
Não é de amor nem é de amada,
Não tem saída nem entrada,
Ao encontrá-lo,
Ia dormindo pela estrada
No meu cavalo.

Eu não sei quando fui gerado:
Não sou alegre nem irado,
Não sou falante nem calado,
Nem faço caso,
Aceito tudo que me é dado
Como um acaso.

Não sei quando é que adormeci,
Quando acordei também não vi,
Meu coração quase parti
Com o meu mal,
Mas eu não ligo nem a ti,
Por São Marcial.

Estou doente e vou morrer,
Não sei de quê, ouvi dizer,
A um médico vou recorrer,
Mas não sei qual,
Será bom se me socorrer
E se não, mau.

Tenho uma amiga, mas quem é
Não sei nem ela sabe e até
Nem quero ver, por minha fé,
Pouco me importa
Se há normando ou francês ao pé
Da minha porta.

Eu não a vi e amo a ninguém
Que não me fez nem mal nem bem
E nem me viu. Isso, porém,
Tanto me faz,
Que eu sei de outra, entre cem,
Que vale mais.

Finda a canção, não sei de quem,
Irei passá-la agora a alguém
Que a passará ainda além
A amigo algum,
Que logo a passará também
A qualquer um.

sexta-feira, maio 08, 2009

"Eu queria um castelo sangrento", dissera o comensal gordo

estvas na zona ou te sonhei? meus amigos partem rindo, nós nos encontraremos outra vez e falaremos sobre Londres, sobre Boniface Perteuil, da Cidade. mas tu, Hélène, terás sido mais uma vez um nome que eu ergo contra o nada, o simulacro que eu invento com palavras enquanto Frau Marta, enquanto a condessa se aproximam e me olham?

quarta-feira, abril 29, 2009

"Cuidado" Marcabru (tradução Augusto de Campos)

Direi logo sem tardança,
Para doer na lembrança,
Meu verso que não se cansa:
-Cuidado!-
Quem diante do Amor balança
Cansará de andar errado.

A velhice enruga o rosto,
Mas o Amor, sempre disposto,
A todos cobra o seu gosto:
-Cuidado-
Todos pagam esse imposto
Que nunca será quitado.

Amor é como a fagulha
Adormecida na hulha,
Que o fogo desembrulha:
-Cuidado-
Não pode fugir o pulha
Que pelo fogo é fisgado.

Direi do Amor como isca,
Que ora olha e ora pisca,
Ora beija, ora mordisca:
-Cuidado-
Será mais reto que risca
Se eu estiver ao seu lado.

Outrora o Amor era honesto,
Agora é torto e funesto,
É como um gato molesto:
-Cuidado!-
Ou te morde ou lambe, lesto,
Com língua de lixa armado.

Sua lei é traiçoeira,
Toma o mel e deixa a cera,
Só para si pela a pêra:
-Cuidado-
Para tê-lo na coleira
Melhor é vê-lo castrado.






Quem ao falso Amor se ata,
Com o diabo contrata,
Da o dorso à chibata;
-Cuidado!-
Quem muito se esgaravata
Acaba sendo escorchado.

O Amor nada tem de belo,
Mata a gente sem cutelo,
Deus não fez pior flagelo;
-Cuidado!-
Ao fero fará farelo
O Amor, se não for domado.

Amor faz ao modo de égua:
Todo o dia te carrega
E nunca mais te dá trégua;
-Cuidado!-
Que lá vai de légua em légua
Correndo desenfreado.

Eis como o Amor se aparelha:
Ele é cego e olha de esguelha,
Leve língua, atenta orelha;
-Cuidado!-
Morde mais doce que abelha,
Porém custa a ser curado.

Quem de mulheres é amigo
Com razão sofre castigo,
A Escritura diz comigo:
-Cuidado!-
Ficarás ao desabrigo
Se não fores avisado.

Marcabru, de Marcabru’a,
Foi engendrado em tal lua
Que sabe o Amor como atua:
-Cuidado!-
Ainda que do Amor não frua,
Não ame nem seja amado.

segunda-feira, abril 06, 2009

Fourth time around


DYLAN/ YO LA TENGO
"When she said,
"Don't waste your words, they're just lies,"
I cried she was deaf.
And she worked on my face until breaking my eyes,
Then said, "What else you got left?"
It was then that I got up to leave
But she said, "Don't forget,
Everybody must give something back
For something they get."

I stood there and hummed,
I tapped on her drum and asked her how come.
And she buttoned her boot,
And straightened her suit,
Then she said, "Don't get cute."
So I forced my hands in my pockets
And felt with my thumbs,
And gallantly handed her
My very last piece of gum.

She threw me outside,
I stood in the dirt where ev'ryone walked.
And after finding I'd
Forgotten my shirt,
I went back and knocked.
I waited in the hallway, she went to get it,
And I tried to make sense
Out of that picture of you in your wheelchair
That leaned up against . . .

Her Jamaican rum
And when she did come, I asked her for some.
She said, "No, dear."
I said, "Your words aren't clear,
You'd better spit out your gum."
She screamed till her face got so red,
Then she fell on the floor,
And I covered her up and then
Thought I'd go look through her drawer.

And when I was through,
I filled up my shoe, and brought it to you.
And you, you took me in,
You loved me then,
You never wasted time.
And I, I never took much,
I never asked for your crutch,
Now don't ask for mine".

Indie rockers or sugar stalkers?

Alfa


Hoje decidi sair. Devia me divertir, fugir do trabalho, da rotina, do mesmo homem e da mesma foda no fim do dia. Acho que não sei o que quero, mas certamente não é isso. Enquanto ela pensa, penteia o cabelo, toma o café e em seguida escova os dentes. Quero fugir, mas antes de sair verifica se o gás está fechado, se há comida suficiente pra Adorno e se sua caixinha ainda é transitável. O sol esquenta a calçada quando ela põe o pé pra fora. Não sente pois o salto é alto. Nunca mais voltar, como se estivesse pegando fogo, queimar até o fim. Adorno se viraria se o idiota não conseguisse tomar conta nem de um gato.

Existe algo que não se define em uma palavra, e uma vontade de me sentir só. Foi muito tempo dedicado aos outros, ou melhor, ao outro, não importa. Agora quero correr, ver o mar ou o mato, mas só, sem ninguém pra me dizer o que sente por mim. Estou longe, e sabe que está longe das respostas. Apesar de não estar mais de uma quadra longe de casa me pergunto se vale a pena. Três quadras depois, se pergunta, se é mais fácil pegar um ônibus na rodoviária, ou um táxi até o aeroporto. Era a única que procurou por ele, e agora se arrepende.

Tanto tempo perdido. Enquanto paga o bilhete se arrepende do que passou. A mulher pergunta se vai pagar a volta, digo que não tem volta.

segunda-feira, março 30, 2009

Tom Courtenay (BY yo la tengo)


Julie Christie, the rumors are true
As the pages turn, my eyes are glued
To the movie star and his sordid life
Mr. X and his old-suffering wife
I spent so much time dreaming about Eleanor Bron
In my room with the curtains drawn
See her in the arms of Paul
Say it, I can say no more
As the music swells somehow stronger from adversity
Our hero finds his inner peace
So now I'm looking for a lucky charm
With a needle hanging out of its arm

As time goes by I know it's gonna happen
I know it's going away
Gonna take its toll, gonna take its toll
Gonna take my time
And I'm thinking about the way things are
And I'm thinking about the way things were
Thinking about Eleanor Bron
And I'm thinking about a lucky charm
And I'm thinking about the needle
Oh, I'm thinking about the needle
And I'm thinking about...

sábado, março 07, 2009

Austin Tv (echar de menos)


TE extrañaré y muchas gracias por los consejos, Chaparrita (dicas de filme e música)

quarta-feira, março 04, 2009

Assisti hoje, deveria ter assistido muito antes


Una película basada en "La voz" de Jean Cocteau. Es estupenda. No lo digo más porque hablo con las patas.

Noite dos palhaços mudos

(...) estes seres ignóbeis, com sua obstinada e teimosa mudez ameaçam as bases de nossa sociedade, nossa religião e nossas famílias!! (...)
O festival ibero americano de teatro no Memorial está muito legal, a abertura foi com Laerte e hoje tem Nelson Rodrigues

Na USP

A melhor coisa que existe na usp depois da tapioca vegetariana é a videoteca da eca - mas a videoteca podia ser melhor.


Epitaph for my heart

Caution: to prevent electric shock do not remove cover

No user-serviceable parts inside Refer servicing to qualified

service personnel"

Let this be the epitaph for my heart Cupid put too much poison in the dart

This is the epitaph for my heart because it's gone, gone gone

and life goes on and on a non and death goes on, world without end

and you're not my friend Who will mourn the passing of my heart

Will its little droppings climb the pop chart Who'll take its ashes and,

singing, fling them from the top of the Brill Building And life goes on,

and dawn, and dawn and death goes on, world without end and you're

not my friend

quinta-feira, janeiro 22, 2009

History?



VI

To articulate what is past does not mean to recognize “how it really was.” It means to take control of a memory, as it flashes in a moment of danger. For historical materialism it is a question of holding fast to a picture of the past, just as if it had unexpectedly thrust itself, in a moment of danger, on the historical subject. The danger threatens the stock of tradition as much as its recipients. For both it is one and the same: handing itself over as the tool of the ruling classes. In every epoch, the attempt must be made to deliver tradition anew from the conformism which is on the point of overwhelming it. For the Messiah arrives not merely as the Redeemer; he also arrives as the vanquisher of the Anti-Christ. The only writer of history with the gift of setting alight the sparks of hope in the past, is the one who is convinced of this: that not even the dead will be safe from the enemy, if he is victorious. And this enemy has not ceased to be victorious.

WALTER BENJAMIN

Cool kids II



The ocean breathes salty, won't you carry it in?
In your head, in your mouth, in your soul.
And maybe we'll get lucky and we'll both grow old.
Well I don't know. I don't know. I don't know. I hope so.

Well that is that and this is this.
You tell me what you want and I'll tell you what you get.
You get away from me. (You get away from me) You get away from me.
Collected my belongings and I left the jail.
Well thanks for the time, I needed to think a spell.
I had to think awhile. (I had to think awhile) I had to think awhile.

Well that is that and this is this.
Will you tell me what you saw and I'll tell you what you missed,
when the ocean met the sky. (You missed, you missed)
You missed when time and life shook hands and said goodbye. (You missed)
When the earth folded in on itself. (You missed)
And said "Good luck, for your sake I hope heaven and hell (You missed, you missed)
are really there, but I wouldn't hold my breath." (You missed, you missed)
You wasted life, why wouldn't you waste death? (You missed, you missed)
You wasted life, why wouldn't you waste death?

Cool kids doing pretty things (they ain't no suburban kids with biblical names)

for those who wanna play for sad sappy suckers

for those who wanna play for sad sappy suckers

http://br.youtube.com/watch?v=sajGMpouyik

sexta-feira, janeiro 09, 2009

Surplus

I've watched this movie a couple of times (literally), first, it seems that it is in favor of some politics that people still think is a legitimate left (specially in Latin America, of couse due to historical reasons), but I was mislead like there has been some misunderstandings on this movie, in fact tons of it. To begin with, is not a documentary but a sort of pseudo-docunentary, if you will, a movie-thesis (my favorite type of documetary, where/when the author doesn't pretend to be neutral, such as, Societé d'espetacle or Nós que aqui estamos por vós esperamos or Columbine), (un)fortunately, this very one, Surplus is even better because the author show his point of view, which is none of the characters of the so call left, have a solution because they're ahistorical, Fidel is shown, as well as, the CEO of microsoft, as dictator and the American Anarchist (blame for the events in Seattle) just wants what Rosseau, Proudohn and all the idealists wanted, or if you wiil , wants. The beauty of it isthat only one aspect of this struggle is undebatable, that is the crelty of capitalism. Last but not least, what annoys people, which is its form is clearly (at least to my mind) a critique on mass media, as well, because that techinique/ language is the same that is displayed 24X7 over and over, on and on and turn ourselves into plainly consumers - it seems like nobody paid attention to the subtitle of the movie.

Have you ever watched "SURPLUS" (THE MOVIE)

This is war too, isn't?

Eagleton speak out on war p2

Eagleton speak out on war

by Terry Eagleton

Art as a production

I have spoken so far of literature in terms of form, politics, ideology, consciousness. But all this overlooks a simple fact which is obvious to everyone, and not least to a Marxist. Literature may be an artefact, a product of social consciousness, a world vision; but it is also an industry. Books are not just structures of meaning, they are also commodities produced by publishers and sold on the market at a profit. Drama is not just a collection of literary texts; it is a capitalist business which employ certain men (authors, directors, actors, stagehands) to produce a commodity to be consumed by an audience at a profit. Critics are not just analysts of texts; they are also (usually) academics hired by the state to prepare students ideologically for their functions within capitalist society. Writers are not just transposers of trans-individual mental structures, they are also workers hired by publishing houses to produce commodities which will sell. ‘A writer’, Marx comments in Theories of Surplus Value, ‘is a worker not in so far as he produces ideas, but in so far as he enriches the publisher, in so far as he is working for a wage.’
TERRY EAGLETON